Translate

sábado, 25 de fevereiro de 2017

O Primeiro Bloco de Carnaval

O Cortejo de Dionísio


"Dioniso andava em compania de um cortejo, chamado de tíaso. Por onde andava sempre a ensinar o preparo do vinho, junto com ele estava seu preceptor Sileno, filho de um sátiro com uma humana, Sileno era representado como um fauno alto, maior que os demais, mais velho, constantemente embriagado, tido como grande sábio. 

Dioniso era cultuado majoritariamente por mulheres por ser de certa forma um deus dos oprimidos, marginalizado, quando passava sua caravana as mulheres saiam de casa abandonavam sua família, seus afazeres domésticos, iam para as montanhas celebrar o deus Rumor, as mênades ou bacantes dançavam em frenesi, uma dança hipinotizante, elas jogam a cabeça para trás e se entregam à experiência divina. 

Sempre com ele um bando de sátiros (meio homens, meio bode) barulhentos, com seus instrumentos. Em algumas representações estão presentes centauros, Eros (o cupido, deus do amor) e Pã (fauno, deus da floresta). 

Dioniso percorria o mundo impondo sua divindade, dando aos homens seu presente. Animais selvagens puxam o carro de Baco, quando adentrava a hera brotava, cachos de uva floreciam, ele batia o seu tirso no chão e brotavam fontes de vinho, leite e mel."



sábado, 4 de fevereiro de 2017

ONU promove concurso de redação para jovens universitários


Museu do Louvre reabre


A Grande Família pode voltar este ano

Para matar as saudades do público, a Globo pode retornar com a série de enorme sucesso “A Grande Família”. Na verdade, desde o final do ano passado, a direção do canal avalia a possibilidade de reprisar alguns dos melhores episódios da atração, como informa o jornalista Flávio Ricco



Não se sabe ainda a quantidade de capítulos. A emissora está com a tendência de voltar com grandes sucessos, a exemplo da “Escolinha do Professor Raimundo” e também dos “Trapalhões” que voltarão em breve, além do “Sai de Baixo”, que teve novos capítulos. 

 Desde a estreia, em 2001, a série teve 489 episódios, tornando-se a terceira mais longa da TV Brasileira, atrás apenas da “Turma da Mônica” e “Escolinha do Professor Raimundo”. 

No elenco, dentre outros, Marieta Severo, Marco Nanini, Guta Stresser, Pedro Cardoso, Lúcio Mauro Filho e Marcos Oliveira, nos papeis dos icônicos dona Nenê, Lineu Silva, Bebel, Agostinho e Beiçola, que divertiram o Brasil em 14 temporadas. 

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Meu pequeno Coxa-Branca

Neste livro; ricamente ilustrado, da Coleção "Meu Time do Coração", Guta Stresser conta a história da conquista do Título Nacional, pelo Coritiba, em 1985.

Em "Meu Pequeno Coxa Branca", André vai bater uma bola com os amigos cariocas, nas areias do Rio de Janeiro, mas ele aparece na praia com uma camisa que ninguém entende: a do Coxa, o Coritiba. 

E é no intervalo do jogo que ele vai explicar de onde surgiu a paixão pelo Verdão, de como seu avô, num dia de neve no Paraná, um dia 'alviverde', fez sua mãe e seu tio montarem um boneco de neve chamado Eli, um dos craques da época, enrolando em seu pescoço um cachecol verde. 

Até o dia em que os três - avô e filhos - resolvem viver uma grande aventura, viajando para o Rio de Janeiro em caravana para assistir à grande final do Brasileiro de 1985, no Maracanã. Uma história gloriosa e fascinante, que, acredite, vai fazer cair até neve em pleno verão carioca durante essa pelada: 

- Então, coxa-branca, vê se mata essa!
- Lá vou eu, de bicicleta!
- GOOOOLAÇO do André!